Últimos Projetos

Apresentando um projeto 100% personalizado em Nossas Bancadas.

Testes comparativos de bombas

A GBAwatercooler reuniu as principais bombas disponíveis nos nossos fornecedores, e as colocou lado a lado em um teste comparativo.

Nossos clientes sempre tem dúvida de qual modelo levar para o seu projeto e nosso objetivo aquí é responder a esta pergunta.


BOMBAS TESTADAS

XSPC DC-750 V4
A bomba vem montada dentro de um reservatório de duas baias. 
Fabricada pela Eheim, modelo 750.
É ligada à fonte através de um conector molex.
Não possui controle de velocidade.
É bastante conhecida por ser um modelo barato.


EK DCP 2.2
É a bomba mais simples oferecida pela EK.
Fabricada pela Jingway em Taiwan sob o modelo DP-400

EK DCP 4.0
É a bomba mais forte oferecida pela jingway em Taiwan sob o modelo DP-1200

Swiftech MCP655
No modelo testado a carcaça foi modificada (foram feitas roscas G1/4).
Esta bomba é fabricada pela Laing na Hungria (empresa que foi comprada pela Xylem).
Trata-se do modelo D5 vario, que possui controle de velocidade embutido na traseira da bomba com seletor de 1(mínimo) a 5(máximo).
É vendida por varios outros fabricante com outros nomes, mas é a mesma bomba:
Alphacool VPP655
Aquacomputer D5
XSPC D5
EK-D5 Vario
Koolance PMP 450

Bombas DDC
Assim como a MCP655 este modelo também é fabricado pela Laing na Hungria.
A série DDC passou, desde 2003 quando foi lançada, por várias revisões.
Hoje existem 4 modelos de Laing DDC em produção e como são todas idênticas por fora e quase idênticas por dentro, diferenciá-las é um processo confuso. 
Os dois modelos mais comuns e são os modelos DDC 3.1 (Ou DDC 1T) e 3.2 (1T-Plus) e são encontrados hoje no mercado mais facilmente como os modelos da Swiftech MCP350 e 355 respectivamente.
Outras empresas também vendem a DDC 3.2 como a XSPC, a Koolance (PMP-400) e a própria EK, colocando em sua versão, controle de velocidade por PWM.
Como o modelo 3.1 é reconhecidamente mais fraco e não é muito mais barato, não será incluso no teste.

Estas bombas, mencionadas até agora vem de fabrica com uma topo com espigões fixos de 3/8".
A GBA não recomenda e não vende estes modelos de bomba DDC com este topo original, pois ele limita muito a flexibilidade da montagem, e tem um desempenho muito significativamente inferior aos topos com rosca da Swiftech, XSPC e EK por exemplo.

Os outros modelos são o 3.15 (que também é fraco e não será incluso no teste) e o 3.25
Segundo o fabricante o modelo 3.25 é ainda mais forte do que o modelo 3.2.

EK DDC 3.25 X-TOP
Testaremos o modelo de bomba DDC mais forte do mercado, com um topo de alto desempenho fabricado pela EK.
Este modelo não conta com controle de velocidade.

Swiftech MCP35X
Este modelo em específico é diferente de todos os outros de todas as outras marcas.
Ele vem de fábrica com o topo com roscas.
Ele tem a programação de controle de rotação modificada:

Bombas DDC em situação de baixa restrição, tendem a diminuir a rotação automaticamente, sem interferência do usuário, para diminuir o consumo de energia, isto porque em baixa restrição o fluxo já é alto o suficiente para gerar turbulência e garantir o máximo em troca térmica.

A swiftech colocou em sua versão, um controle PWM, para que seja controlada a vazão conforme a temperatura do CPU, e quando regulada para trabalhar ao máximo, ou quando o controle é desconectado, ela é progamada para não diminuir, o que a torna ainda mais forte em sistemas de baixa restrição.

Swiftech MCP35X2
É algo parecido com um "SLI" ou um "Raid 0" de bombas.
Esta bomba nada mais é do que duas bombas MCP35X ligadas em série com um topo usinado pela Swiftech.
Indicada para sistemas muito complexos com vários blocos, radiadores e acessórios.
Pura potência!


METODOLOGIA DE TESTE DE BOMBA GBA
Testar bombas não é simplesmente olhar a especificação e dizer: esta bomba é 1000L/h, esta outra é 800L/h então a primeira é melhor e ponto final.
Não e assim que funciona.
Toda bomba tem sua geometria, forma de trabalho (centrifuga, fluxo pistonado, deslocamento positivo, auto-escorvante, engrenagem, etc), potência nominal e rendimento.
O resultado prático disso é que conforme o circuito pelo qual o fluido tem que passar aumenta, a bomba tem mais dificuldade e o fluxo cai. Essa queda não é linear.
O estudo desta queda nos fornece o que é chamado de "curva característica da bomba" que é o objetivo do nosso trabalho.
Para concluir quais as melhores bombas é necessário comparar curvas e não especificações de fluxo máximo.
Para o nosso teste, montamos um circuito com 4 blocos de CPU, sendo:
1 - XSPC Raystorm baixa restrição
2 Swiftech Apogee XT - Altíssima restrição
3 - Watercool Heatkiller 3.0 LT - média restriçao
4 - Outro Watercool Heatkiller 3.0 LT - média restriçao

Para cada bomba, montamos o circuito com 1, 2, 3 e 4 blocos, e em cada teste anotamos a vazão medida pelo medidor de vazão digital da Koolance utilizado no circuito.

Para se ter uma comparação com um sistema real, os blocos 1 e 2 juntos, seriam mais restritivos que este sistema:
Reservatório - Bomba - Bloco de CPU XSPC Raystorm ou EK Supremacy - Bloco fullcover de VGA EK - Radiador Triplo (360mm) - Reservatório.

O teste com 4 blocos é mais restritivo que o seguinte sistema por exemplo:
Reservatório - Bomba - Radiador 240mm no piso do gabinete - 3 way SLI com blocos Full Cover - Radiador de 120mm na traseira do gabinete - Bloco do CPU (Raytorm ou Supremacy) - Radiador de 360mm no Teto - Reservatório

QUANTA VAZÃO É NECESSÁRIA?
Os testes que realizamos no passado, mostraram que a partir do momento que temos fluxo turbulento no sistema há pouco ganho de performance, ou melhor, 90% do desempenho possivel de ser alcançado quando se aumenta a vazão de fluido é atingido, para sistemas com diâmetro interno de 1/2", quando a vazão é 3,0 L/min ou 180L/h.

"Mas Tiago, espera um pouco, eu tenho uma bomba de 1200L/h e você está me dizendo que com 180L/h eu já chego no máximo de desempenho???"

Sim, mas lembre-se que 1200L/h é a vazão máxima, nominal, fornecida pela fabricante, no momento que colocamos ela num circuito com blocos, radiadores e um monte de curvas, essa vazão cai drasticamente.

RESULTADOS
 
Vazão no medidor da Koolance em mL/min
Bomba 1 Bloco 2 Blocos 3 Blocos 4 Blocos
DCP 2.2 3870 1950 1770 1740
DCP 4.0 7240 3800 3120 2670
DC-750 3120 1760 1690 1620
MCP 655 P3 5070 2150 1570 1375
MCP 655 P4 6260 2940 1730 1640
MCP655 P5 7750 3440 2320 2025
MCP35X 100% 8130 4840 3320 2370
EK DDC 3.25 X-TOP 7550 5620 4740 4250
MCP35X2 9999 7650 6300 5650
 
 


ANÁLISES E CONCLUSÃO
Para podermos analisar os resultados da maneira correta é necessário relembrar os nossos objetivos.
Não queremos encontrar a bomba mais forte do mercado.
Queremos identificar quais são as bombas que atenderão uma determinada demanda que é o projeto de cada cliente da loja.

Relembrando:
1 Bloco = Circuito para CPU com um radiador de 240mm
2 Blocos = Circuito para CPU mais uma VGA com um radiador de 360mm
3 Blocos =  Circuito para CPU mais duas VGAs com dois radiadores, um de 240mm e um de 360mm
4 Blocos =  Circuito para CPU mais três VGAs mais memórias com três radiadores, sendo um de 240mm e dois de 360mm.

DC-750: Esta bomba apresentou o pior resultado no comparativo, sendo capaz de sustentar apenas um circuito simples, e não podemos mais recomendá-la mesmo que para um projeto básico para CPU, pois nossa experiência já mostra que após montar o sistema para o CPU, o próximo passo de todo cliente é ampliar o sistema para sua VGA. Não é impossível. Funcionar esta bomba vai, mas começará a ser um gargalo de desempenho.
Outro fator importante que não aparece no teste é que esta bomba, frequentemente começa a fazer baruho após algum tempo de uso, e também queima mais frequentemente do que as demais, gerando transtorno para a GBAwatercooler e para o cliente.

EK DCP 2.2: Essa bomba surpeendeu, pois a primeira vez que a utilizei foi nesse teste. Pelo seu tamanho e pelo seu preço, eu imaginei que ela seria inferior a DC-750, mas ela é ligeiramente superior. No entanto ela ainda teria dificuldades para tocar sistemas mais complexos (CPU + VGA + Radiador de 360mm) e por ser apenas um pouco mais barata que sua irmã maior, a DCP 4.0, ela não é recomendada para sistemas complexos, no entanto para kits básicos, só para CPU com radiador de 240mm, ou para aprimorar mods de watercoolers selados, é uma excelente opção.

EK DCP 4.0: Essa bomba também surpreendeu nos testes. Superou e muito minhas expectativas. Tanto que desde que iniciamos esses testes no inicio do ano de 2013, começamos a disponibilizar ela na nossa loja. No teste 4 ela superou quase todas as outras bombas, inclusive a MCP35X. Nós já montamos um sistema com 4 placas de vídeo mais CPU mais dois radiadores de 360mm com essa bomba, e mesmo não tendo colocado um medidor no circuito, visualmente pudemos evidenciar o fluxo turbulento no reservatório.
Ela é mais barata que as bombas da Laing, pois seus componentes são mais simples. O único ponto negativo que encontramos é que ela é mais desajeitada para ser fixada ao gabinete e esteticamente tem menos opções que as bombas Laing.

Swiftech MCP655 (D5 Vario): Esta bomba é e sempre será recomendadíssima pela GBAwatercooler. Ela tem uma boa potência para circuitos mais complexos para CPU e VGA, e já montamos circuitos com CPU, 2 VGAs, e dois radiadores com ela. Nunca tivemos um caso de devolução por quebra ou qualquer tipo de problema com esta bomba na loja. Ela é inaudível mesmo em velocidade máxima, que pode sim ser ajustado ao máximo 24/7 sem problemas. O visual dela é robusto, muitos clientes adoram ela por isso e por ter diversas opções de modificações visuais disponíveis no mercado. Ela tem um sistema de fixação muito bom e acompanha um neoprene com dupla face excelente para fixação mesmo sem parafusos. A única ressalva é que ela com a carcaça original perde muito em flexibilidade na montagem. Uma vez feitas as roscas, ela melhora 100%, uma mudança que só se sente na hora de montar o sistema.

Swiftech MCP35X: Esta também é tão famosa quanto a MCP655. Excelente bomba, premiadíssima em todos os testes publicados na internet. Ótima para montar no gabinete, silenciosa e também é praticamente indestrutível. Possui diversas opções de topo de diversas cores e designs e estilos.

EK DDC 3.25 X-TOP: Simplesmente a bomba mais forte do teste (Lembrando que a MCP35X2 são duas bombas em série). E além de tudo a danada vem com o topo da EK que é lindíssimo, uma obra de arte da usinagem CNC. Se podemos colocar alguma ressalva por mais absura que seja é que ela é tão forte que dependendo de como for montado o sistema, o fato dela não possuir controle de velocidade pode ser um problema por causar turbulência demais no reservatório.

Swiftech MCP35X: Um colosso! Um Abuso! Um Absurdo. Quando nada mais der certo e tiver de apelar, esta é a solução!

Testado e analisado por Tiago Martins, proprietário da GBAwatercooler.com.br

Erro Experimental

Uma determinada vazão medida em um de nosso medidor pode não ser na realidade esta vazão, mas a VARIAÇÃO é precisa. O que isso quer dizer?
Se fosse no caso de um termômetro , poderíamos dizer que se uma temperatura sobe 1°C, esta variação é sensível ao termômetro, assim se a temperatura da água sobe ao passar pelo bloco, temos uma medida de VARIAÇÃO precisa, isto é, digamos que a tempratura real seja 28,5°C e a temperatura lida seja 27,9°C. Temos uma diferença de 0,6°C, mas caso esta temperatura se eleve para 29,3°C a temperatura lida será de 28,7°C. Assim a VARIAÇÃO que é o que nos interressa quando comparamos é válido!

O mesmo vale para o medidor de vazão. Caso ele estivesse descalibrado, ele estaria descalibrado igualmente para todas as bombas em todos os testes. (Cá entre nós, eu aferi o medidor com um balde, uma balança e um cronômetro antes de fazer os testes e o danado deu menos de 2% de diferença do calculado para o medido.)

Dúvidas? Envie email para tiago@gbawatercooler.com.br

Não existem produtos cadastrados nessa categoria.